Atualizações foram divulgadas durante sessão do Consun na última quinta-feira (2).

Durante sessão do Conselho Universitário realizada na última quinta-feira, 2 de setembro, a conselheira titular e pró-reitora de Planejamento Alessandra Dahmer, integrante da Comissão de Espaço Físico, apresentou o andamento da terceira fase dos trabalhos de readequação dos ambientes da UFCSPA. A etapa atual corresponde aos espaços docentes, salas de aulas e laboratórios de ensino.

A discussão sobre os critérios para alocação de espaços físicos aos docentes foi realizada em sessão do Consun no ano de 2018. A reitora Lucia Pellanda observou que, embora o tema já tenha passado por debates e aprovações nas instâncias oficiais da universidade, é de grande importância que os novos conselheiros tenham conhecimento sobre o assunto e seu andamento.

A comissão tem como objetivo mapear a utilização do espaço físico da UFCSPA, envolvendo salas de aula, laboratórios, departamentos, setores administrativos, e discutir as necessidades de alocação, como é o caso do restaurante universitário (RU), salas de reuniões, almoxarifado de produtos químicos e espaço para armazenamento de resíduos.

"Desde 2017, o grupo vem trabalhando em três ondas de propostas. A primeira etapa envolvia o restaurante universitário e área administrativa, o que já está na fase final das obras. Essa primeira etapa envolveu uma série de obras em todos os andares do prédio 1, visando à liberação do espaço do subsolo para a construção do RU” explicou Alessandra.

Na segunda etapa foram iniciadas as alterações previstas para os laboratórios de pesquisa do prédio 3, com previsão de conclusão em outubro de 2021. As obras envolveram espaços para a criação de laboratórios multiuso, aptos a atender diversas áreas de pesquisa, adaptações em laboratórios específicos e criação de salas de estudo para uso da comunidade acadêmica.

A terceira etapa é direcionada aos ambientes ocupados por docentes, salas de aula e laboratórios de ensino. De acordo com informações passadas pela conselheira, algumas salas do prédio 3 foram divididas, permitindo um maior número de espaços. Além disso, laboratórios de ensino como os do terceiro andar do prédio 1 foram modificados e projetados em conjunto com a equipe técnica e os professores usuários dos espaços.

A reorganização de espaços docentes foi discutida pelo Consun em 2018, que aprovou diretrizes para a distribuição balanceada, respeitando as normas de segurança do campus. Entre os critérios estão a organização preferencial por departamento, uma distribuição mais equânime dos espaços, a previsão de expansão de vagas, a instalação de estações exclusivas para docentes DE/40h, a alocação em espaços não utilizados no prédio 2 e a colocação de novos armários em corredores.

A metodologia da terceira etapa envolveu a análise das demandas que foram encaminhadas para a Comissão de Espaço Físico. Ainda em 2018, foi realizada análise da metragem de cada sala ocupada, do espaço ocupado por cada departamento e das necessidades dos docentes. Desde então foram realizadas amplas discussões e simulações de propostas levando em conta as diretrizes já estabelecidas. Com a chegada de novos professores, ficou ainda mais necessária a redistribuição dos espaços. Os critérios foram ratificados pelo conselho, com a orientação de discussão de cada etapa entre a Comissão de Espaço Físico e a chefia do departamento relacionado.

De acordo com a pró-reitora, com o novo prédio localizado na Avenida Sete de Setembro, espaço conquistado junto à União em 2020, será possível ampliar espaços docentes no campus central no futuro.